EXPERIÊNCIAS DIGITAIS

001. ARRANJOS DO SONAR, PENDRIVE E MUDANÇA DE TOM

1. Utilizando o Sonar já fiz dezenas de arranjos para execução na FR7x.
2. Aprendi as primeiras noções desse software na Escola de Música e Tecnologia (EMT).
Foi um curso rápido, aos sábados, porém muito eficiente.
Terminado esse, adquiri alguns livros e prossegui sozinho no estudo do programa.
3. O resultado prático do uso da memória USB na FR7x é surpreendente.
É possível executar livremente uma peça escolhida e ter o acompanhamento de uma orquestra, que a própria pessoa arranja no computador, em diversas vozes e com diversos instrumentos.
A impressão final de quem ouve é muito agradável, inclusive porque é possível regular o volume do acompanhamento, de forma a realçar o solo do acordeon ou harmonizá-lo com a gravação.
4. Entretanto, não é possível mudar o tom do material do pendrive.
5. Considerando que a música trazida no pendrive também é processada pela FR7x, uma das possibilidades de aperfeiçoamento do instrumento seria a incorporação da possibilidade de alterar, ali no instrumento, o tom do material armazenado na memória USB.
Isso seria um avanço de extraordinário alcance profissional.
De fato, quando há um vocal fixo na banda, o arranjo pode ser feito no computador com a utilização do tom adequado a esse cantor.
Feito o arranjo, faz-se a conversão para MP3 e ele é transferido para o pendrive, tornando-se possível a apresentação ideal.
Entretanto, se por qualquer razão surgir de improviso outro vocal, com tom diferente, o acordeonista não tem como alterar a música do pendrive, restando-lhe apenas os recursos isolados do instrumento. E isso é uma pena, já que se perde o colorido de um trabalho bem preparado.
Uma vez que a FR7x possui internamente a ferramenta de alteração do tom e considerando que o som armazenado no pendrive é processado no instrumento, não seria difícil fazer o sinal passar por alguma via interna da máquina e assim também ficar sensível à mesma ferramenta de alteração de tom que ela já traz.
Sabendo da existência dessa possibilidade, bastaria ao músico montar no Sonar um arranjo que permitisse essas alterações sem comprometimento da harmonia desejada.
6. Comente aqui suas experiências nesta matéria.

0 Responses to “EXPERIÊNCIAS DIGITAIS”



  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 1.244 outros seguidores


%d blogueiros gostam disto: